A Internet foi uma inovação disruptiva, ou seja, que mudou e continua transformando parâmetros, conceitos e processos. Neste contexto, a Cloud Computing, que já abordei em outros posts no blog, se tornou realidade e vem ganhando espaço, ao permitir que as pessoas realizem várias atividades acessando softwares, arquivos e dados a partir da conexão à rede.

cloud computing

O armazenamento de arquivos e fotos na nuvem é um dos serviços que tem se tornado cada vez mais popular, pela possibilidade das pessoas acessarem estes materiais de diferentes equipamentos e onde quer que estejam.

Aquela cena tradicional de que o disco rígido não tem mais espaço para salvar arquivos vira coisa do passado. Para as empresas, é a possibilidade também de evitar as situações constrangedoras de problemas nos servidores que não podem processar as informações, porque estão com a capacidade esgotada. Nessa hora, os funcionários ficavam a reclamar da impossibilidade de trabalhar até que o pessoal de TI resolvesse a situação.

A popularização do armazenamento de dados na nuvem gerou, recentemente, uma guerra de preços entre os principais players do setor, como Dropbox, Google e Microsoft, com valores cobrados em queda e aumento no espaço oferecido. Entretanto, na hora que as empresas precisam contratar este tipo de serviço, elas não deveriam colocar o custo como fator principal de seleção. As funcionalidades e segurança são questões fundamentais e devem ter como orientação o Processo Corporativo da Segurança da Informação, política que toda organização deveria ter. São várias questões sensíveis e uma delas é saber quais os mecanismos disponibilizados de autenticação para cada usuário que terá acesso ao material guardado na nuvem.

Em tempo de mobilidade e desejo crescente dos colaboradores por flexibilidade na rotina de trabalho, planejar o armazenamento de dados da empresa na nuvem é crucial, assim como contar com consultoria e fornecedor de serviços que ofereça soluções competitivas e as mais adequadas para o perfil de cada empresa.